Ebook SOP Baixe agora o e-book sobre Síndrome dos Ovários Policísticos e entenda tudo sobre essa doença! Clique Aqui!
Ficou com alguma dúvida? Agende sua consulta agora! Clique Aqui!

Exames solicitados para investigar a infertilidade masculina



"Estudos indicam que em 30% dos casos em que casais sentem dificuldades pra ter filhos, o problema é causado pela infertilidade masculina. Para diagnosticar o problema, diferentes exames podem ser requisitados, como explicamos no novo artigo. Leia no link."

por Dr. Augusto Bussab

Exames solicitados para investigar a infertilidade masculina

Os homens têm participação em 50% dos casos em que casais não conseguem engravidar, mas quando o problema é causado exclusivamente pela infertilidade masculina, o percentual chega a 30%.

São diversos os fatores que podem causar tal situação. Embora o homem sofra menos com a ação do tempo, problemas como a baixa qualidade seminal, anormalidades urogenitais, distúrbios endocrinológicos, doenças sistêmicas e até maus hábitos de vida podem prejudicar sua capacidade reprodutiva.

De acordo com a suspeita que tem do problema, o médico pode solicitar alguns exames para descobrir a causa do problema, sua gravidade e o que é possível fazer para viabilizar o sonho de ter um filho.

Este texto aborda algumas dessas avaliações, portanto, se você ou o seu marido não consegue conceber naturalmente, acompanhe os próximos tópicos e entenda como pode ser realizado o diagnóstico.

Consulta inicial

Antes de solicitar os exames, é essencial que a infertilidade seja constatada. A condição só é considerada após um ano de relações sexuais regulares sem o uso de anticoncepcionais. Após esse período, o médico precisa avaliar o quadro para descartar fatores de infertilidade feminina e, então, pode-se seguir com a investigação da infertilidade masculina.

Na consulta inicial, é feita uma anamnese, procedimento que consiste em avaliar a história clínica do paciente, de seus antecedentes familiares e de seu histórico conjugal. Esse cuidado é importante porque ajuda a determinar a causa do problema.

A anamnese é seguida por um exame físico, que tem como intuito detectar anormalidades no aparelho genital e em outros sistemas, situações que podem influenciar negativamente a produção de espermatozoides e, assim, desencadear o quadro de infertilidade masculina.

Exames que podem investigar a infertilidade masculina

De acordo com o resultado da anamnese e exame físico, o médico pode requerer um ou mais exames, conforme suas suspeitas, para investigar se a infertilidade masculina é realmente um problema e quais seriam suas causas. A seguir, as principais avaliações utilizadas para esse fim e o contexto em que são solicitadas.

Espermograma

O espermograma é o principal exame utilizado nesse contexto, pois a análise do sêmen consegue fornecer dados a respeito da produção de espermatozoides e a permeabilidade dos canais que conduzem os gametas até a uretra.

O teste descreve a concentração, motilidade e morfologia dos espermatozoides, além de cor, viscosidade, pH e outras características do sêmen.

Por esse motivo, o espermograma costuma ser solicitado quando o médico tem suspeitas de doenças como oligozoospermia (poucos espermatozoides no ejaculado), astenozoospermia (baixa motilidade dos gametas), problemas de morfologia ou outras condições que podem afetar a produção das células reprodutivas, como a criptorquidia, a inflamação testicular e a varicocele.

Ultrassonografia

O exame permite, por meio de sondas, avaliar a condição interna dos testículos e outros órgãos relacionados à saúde reprodutiva dos homens. Pode ser utilizado para avaliar, por exemplo, o volume testicular para identificar tumores de pequeno tamanho, a varicocele, processos infecciosos, microcalcificações e malformações congênitas capazes de causar obstruções aos canais que conduzem os espermatozoides dos testículos à uretra.

Fragmentação do DNA espermático

Mesmo quando o homem apresenta qualidade seminal normal no espermograma, existe a possibilidade de ter fragmentações do DNA dos espermatozoides dispersos no sêmen. Para identificar esse problema, esse teste pode ser solicitado, geralmente em caso de uso de cigarro ou poluição atmosférica, na suspeição de azoospermia (ausência de gametas no ejaculado), oligozoospermia, hipertermia, varicocele e infecções e, principalmente, em casos de ISCA (infertilidade sem causa aparente), quando outros exames não conseguiram apontar a causa do problema.

Exame de urina

A infertilidade masculina pode ser causada por um problema conhecido como ejaculação retrógrada, que consiste no fluxo de sêmen para a bexiga urinária. O problema é passível de suspeição quando identifica-se baixo volume de ejaculado, nas situações em que não houve erro na coleta, não existe diminuição dos hormônios masculinos e nem obstrução de ducto ou ausência dos vasos deferentes. O exame pode, então, buscar espermatozoides na urina pós-ejaculação.

Avaliação hormonal

O homem pode sofrer de infertilidade masculina devido a disfunções endocrinológicas e, por isso, a análise hormonal, realizada por meio de exames de sangue, avalia os níveis de testosterona, do FSH (hormônio folículo estimulante), LH (hormônio luteinizante) e prolactina.

A avaliação costuma ser solicitada na hipótese de concentração espermática baixa no ejaculado e na presença de sintomas de baixo nível hormonal ou doença relacionada, inclusive casos de disfunção erétil.

Avaliação genética

Algumas doenças relacionadas a alterações e microdeleções cromossômicas e mutações genéticas podem causar infertilidade masculina. Por isso, em casos de oligozoospermia grave, azoospermia ou histórico familiar, essa avaliação pode ser importante para conhecer esses transtornos e, além de diagnosticar, permitir um melhor aconselhamento e, assim, evitar o repasse da condição para a prole.

Avaliação microbiológica

Algumas ISTs (infecções sexualmente transmissíveis), como a clamídia, tricomoníase e a ureaplasma, podem causar infecções no canal da ejaculação e, assim, alterar as taxas de espermatozoides, bem como em outras glândulas acessórias masculinas, como a próstata e as vesículas seminais.

Nesses casos, podem ser encontradas células sanguíneas no sêmen e, para averiguar essa situação, a avaliação microbiológica pode ser requisitada, especialmente se também há um volume reduzido do ejaculado, situação que pode indicar obstrução nos dutos.

Indicações de tratamento

A abordagem terapêutica ideal varia de acordo com o diagnóstico que, por sua vez, depende dos exames solicitados e de seus resultados. Inicialmente, conforme o caso, o médico poderá aconselhar o paciente a simplesmente mudar alguns hábitos de vida, como parar de fumar, indicar um tratamento hormonal ou mesmo um procedimento de correção, em caso de doenças como a varicocele.

Não existe em muitos casos, no entanto, a garantia de correção, motivo pelo qual o médico pode indicar uma técnica de reprodução assistida para que o homem possa ter filhos com sua parceira. O método ideal varia de acordo com a causa da infertilidade masculina, a idade do casal e a situação financeira.

Quando a infertilidade masculina for causada por fatores leves, a RSP (relação sexual programada) pode ser a primeira escolha, técnica que consiste no acompanhamento do ciclo menstrual da mulher e na indicação do melhor período para a concepção natural.

Em casos um pouco mais graves, como quando o homem tem alguma disfunção ejaculatória ou quando todos os fatores foram corrigidos e a gravidez não foi alcançada, pode-se optar pela IA (inseminação artificial).

A técnica costuma ser incrementada com a ICSI (injeção intracitoplasmática de espermatozoides), procedimento que realiza a seleção dos melhores espermatozoides para implementação direta no útero feminino.

Esse procedimento também pode ser realizado no contexto da FIV (fertilização in vitro). A técnica é, aliás, indicada para os casos mais graves de infertilidade masculina, quando o homem tem grande porcentagem de espermatozoides em formato anormal, baixa concentração e motilidade espermática, defeitos funcionais específicos ou quando o casal tem idade superior a 35 anos.

A infertilidade masculina pode se desenvolver devido a diversas causas e, assim, muitos são os exames que podem ser utilizados no diagnóstico.

O espermograma costuma ser a avaliação principal, mas de acordo com a anamnese e o exame físico, podem ser requisitados ainda testes hormonais, ultrassonografias, exames de fragmentação do DNA espermático e uma avaliação microbiológica, genética e de urina. Os resultados ajudam o aconselhamento médico e a escolha da abordagem terapêutica ideal.

Quer saber mais sobre por que alguns dos problemas aqui citados podem impor dificuldades ao homem em conceber naturalmente? Então confira a página dedicada à infertilidade masculina aqui no site.


Se inscrever
Notificação de
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Próxima leitura
Dor nos testículos: o que pode ser e o que pode indicar?

Localizado numa bolsa músculo-cutânea chamada escroto, o testículo é um órgão par (esquerdo e direito) que se localiza logo atrás do pênis. Sua função é produzir as glândulas sexuais masculinas, os espermatozoides, e sintetizar hormônios. O principal hormônio sintetizado por ele é a testosterona, que […]

Ler mais...