Ebook SOP Baixe agora o e-book sobre Síndrome dos Ovários Policísticos e entenda tudo sobre essa doença! Clique Aqui!
Ficou com alguma dúvida? Agende sua consulta agora! Clique Aqui!

O que é LH e qual sua importância para a fertilidade?



"LH é a sigla para hormônio luteinizante, que está presente no ciclo menstrual feminino com a função de provocar o rompimento do folículo, ou seja, estimular a ovulação. Dessa forma, a falta desse hormônio pode levar a mulher à infertilidade. A ação desse hormônio no […]"

por Dr. Augusto Bussab

O que é LH e qual sua importância para a fertilidade?

LH é a sigla para hormônio luteinizante, que está presente no ciclo menstrual feminino com a função de provocar o rompimento do folículo, ou seja, estimular a ovulação. Dessa forma, a falta desse hormônio pode levar a mulher à infertilidade.

A ação desse hormônio no organismo da mulher também é fundamental porque ele estimula a ação de outro hormônio, a progesterona, que prepara o útero para o início da gravidez. Esse ambiente é necessário para a implantação e desenvolvimento adequado do embrião.

Já no homem, a falta desse hormônio prejudica a produção de espermatozoides, já que o LH auxilia na produção dos espermatozoides.

O desequilíbrio deste hormônio é um grande obstáculo para os casais que estão tentando a gravidez.

Continue lendo e saiba exatamente qual a função do LH, como é feito o tratamento caso esse hormônio esteja em desequilíbrio e descubra informações muito importantes para garantir sua saúde.

Qual a função do LH dentro do ciclo menstrual?

O LH é produzido na hipófise e é indispensável para o ciclo menstrual, principalmente para a ovulação. O LH é regulado pelo eixo hipotalâmico-pituitário-gonadal. Após ser liberado pela hipófise, ele começa a ser transportado pela corrente sanguínea e vai diretamente para os receptores dos ovários femininos.

No 14º dia do ciclo menstrual, há um aumento desse hormônio, chamado pico de LH, fazendo com que o folículo ovariano dominante se rompa e libere um óvulo maduro, período conhecido como ovulação.

Depois de liberado o óvulo, o folículo ovariano forma o corpo-lúteo, que vai ser estimulado pelo LH a produzir outro hormônio, chamado progesterona, que é responsável por manter o útero preparado para a implantação e desenvolvimento do embrião no útero.

Caso ocorra um desajuste na liberação desse hormônio, a mulher pode se tornar infértil.

Relação com outros hormônios

Conhecidos como gonadotrofinas (hormônios produzidos pela hipófise), o LH e o FSH atuam em conjunto. Os dois regulam a atividade dos ovários femininos e dos testículos, produzindo hormônios que atuam nas características sexuais e no processo de reprodução.

No homem, o FSH age estimulando a produção dos espermatozoides e o LH atua favorecendo a produção de testosterona, o hormônio sexual masculino que estimula o desenvolvimento de certas características, como pelos, aumento de massa muscular, entre outros.

Na mulher, o FSH e o LH agem diretamente no ciclo menstrual, formando o ovócito e produzindo hormônios indispensáveis para os ovários, como o estrógeno e a progesterona. São eles os responsáveis pela preparação do útero para a gravidez.

Por que alterações podem levar à infertilidade?

A fertilidade pode ser afetada por diversas condições, uma delas relacionada à ovulação. Se o óvulo não for liberado ou não amadurecer, por exemplo, não poderá haver fecundação do óvulo pelo espermatozoide, impedindo a gravidez. Esses problemas podem ser causados por desequilíbrios hormonais.

Os hormônios FSH e LH têm como principal função atuar no desenvolvimento e rompimento dos folículos, ou seja, até a ovulação. Caso eles não estejam em níveis ideais, alguma das etapas do processo pode não ocorrer adequadamente e provocar infertilidade.

Exames

Para verificar os níveis hormonais da mulher, o médico pode pedir alguns exames de sangue, que identificam quais podem ser as causas da dificuldade de engravidar e dos distúrbios hormonais.

No exame de sangue, é possível analisar os níveis de diversos hormônios, como FSH, LH, estradiol, prolactina, TSH, T4 e antimülleriano.

Dependendo do caso, principalmente dos sintomas e da história clínica da mulher, podem ser solicitados outros exames.

Anovulação ou ciclo irregular

A anovulação (ausência de ovulação) ou ciclos irregulares ocorrem quando o LH e o estrogênio estão em níveis desregulados no organismo, o que pode provocar dificuldade de engravidar. Os ciclos irregulares nem sempre são anovulatórios, mas a ovulação é mais difícil de identificar nesses casos, sendo necessário ficar atenta aos sinais do corpo, como aumento da libido.

Tratamento

Para equilibrar os hormônios, é preciso tratamento. Quando feito corretamente, a mulher geralmente consegue engravidar. No entanto, dependendo do caso, indicam-se técnicas de reprodução assistida, como a fertilização in vitro (FIV).

O tratamento geralmente é feito com medicamentos hormonais, mas cada caso deve ser avaliado individualmente. Esse conteúdo ajudou você?

Deixe seu comentário no post.


Deixe um comentário

  Se inscrever  
Notificação de
Próxima leitura
Teste de receptividade endometrial (ERA): o que é e como é feito o teste?

O teste ERA tem sido de grande auxílio na realização da Fertilização in Vitro. Você sabe como funciona esse teste?

Ler mais...