Ebook SOP Baixe agora o e-book sobre Síndrome dos Ovários Policísticos e entenda tudo sobre essa doença! Clique Aqui!
Ficou com alguma dúvida? Agende sua consulta agora! Clique Aqui!

Infecção por clamídia: como tratar?



"Clamídia é uma doença sexualmente transmissível infecciosa, causada pela bactéria Chlamydia trachomatis. Pode ser transmitida pelo contato sexual anal, oral ou vaginal, ou durante o parto da mãe para o filho. A infecção causada pela doença atinge a uretra e órgãos genitais, mas também pode […]"

por Dr. Augusto Bussab

Infecção por clamídia: como tratar?

Clamídia é uma doença sexualmente transmissível infecciosa, causada pela bactéria Chlamydia trachomatis. Pode ser transmitida pelo contato sexual anal, oral ou vaginal, ou durante o parto da mãe para o filho.

A infecção causada pela doença atinge a uretra e órgãos genitais, mas também pode acometer a região do ânus, faringe e causar doenças pulmonares.

A clamídia é apontada por especialistas como uma das causas mais comuns de infertilidade tanto no homem quanto na mulher, pois o processo infeccioso gerado pela doença nem sempre causa sintomas, facilitando a transmissão.

Para compreender mais sobre a clamídia, continue lendo o texto!

Como prevenir a clamídia?

Não existe vacina de prevenção à clamídia. A única forma de prevenir a transmissão da doença é utilizar preservativo em todas as práticas sexuais. Uma vez que o paciente é diagnosticado com a infecção, o tratamento consiste em tratar o casal com antibióticos.

Quais os sintomas da clamídia?

O período de incubação da bactéria é de cerca de 15 dias, já sendo possível a transmissão. A infecção gerada pela clamídia pode ser assintomática. Quando há sintomas durante o período de incubação, os mais relatados são: dor ou ardor ao urinar, aumento do número de micções e presença de secreção fluida. As mulheres podem ter perda de sangue nos intervalos do período menstrual e sentir dor no baixo ventre.

Os sintomas mais relatados após o período de incubação da infecção são:

  • Sintomas de doença inflamatória pélvica (DIP);
  • Dor ou secreção retal;
  • Corrimento vaginal;
  • Dor abdominal;
  • Ardência ao urinar;
  • Corrimento;
  • Sangramento intermenstrual e após a relação sexual;
  • Penetração dolorosa durante o ato sexual;
  • Dor nos testículos.

Consulte sempre um médico se identificar qualquer tipo de sintoma. Sabendo que muitas pessoas diagnosticadas com a doença não apresentam os sintomas, os adultos sexualmente ativos devem realizar exames periodicamente.

Como é feito o diagnóstico e quais exames devem ser realizados?

A clamídia é uma doença de difícil diagnóstico por ser assintomática, ou seja, não apresentar sintomas. Assim sendo, é necessário realizar exames, como: exame de urina, da secreção uretral e do material obtido por esfregaço na uretra, assim como do material colhido no colo do útero e o exame para detectar os anticorpos anticlamídia (IgM).

Esses exames têm o objetivo de identificar o agente infeccioso e orientar o tratamento que deve ser feito.

Qual o tratamento para clamídia?

O tratamento para a doença é feito com o uso de remédios antibióticos, podendo ser azitromicina, doxiciclina, entre outros. Recomenda-se que o parceiro ou parceira também faça os exames para identificar o agente etiológico.

Durante o período de tratamento, é importante cessar a prática sexual. Se o tratamento não for feito adequadamente, a mulher poderá desenvolver quadro de infertilidade, por isso é fundamental seguir todas as orientações médicas.

Clamídia causa infertilidade?

A clamídia pode causar infertilidade de forma indireta. Quando a infecção provocada pela doença não é tratada adequadamente ou a terapia para cura não está sendo bem conduzida, a mulher pode desenvolver a doença inflamatória pélvica (DIP), uma das principais causas de infertilidade na mulher.

A DIP atinge os órgãos reprodutivos da mulher, como o útero, os ovários e as tubas uterinas, que podem sofrer alterações e gerar outras consequências, como uma gravidez ectópica, quando o embrião se fixa nas tubas uterinas, não no útero, o que pode oferecer risco à vida da mulher.

A ausência de sintomas da patologia pode fazer com que os homens transmitam a doença. O risco é o mesmo: a infertilidade. No entanto, nos homens a doença pode causar uma infecção na uretra e uma inflamação nos locais em que os espermatozoides são armazenados, chamados epidídimos, provocando a infertilidade masculina.

Além disso, é muito fácil confundir a clamídia com uma infecção urinária, já que os sintomas, quando se apresentam, são semelhantes, como a dificuldade de urinar.

Clamídia e técnicas de reprodução assistida

Se o homem ou a mulher desenvolverem quadro de infertilidade, podem ser indicadas técnicas de reprodução assistida, principalmente a fertilização in vitro (FIV), que aumenta as chances de fecundação e, consequentemente, de gravidez.

O que você achou deste post? Espero que tenha esclarecido as suas dúvidas. No entanto, caso ainda persista algum questionamento, deixe seu comentário.

 


Deixe um comentário

  Se inscrever  
Notificação de
Próxima leitura
Teste de receptividade endometrial (ERA): o que é e como é feito o teste?

O teste ERA tem sido de grande auxílio na realização da Fertilização in Vitro. Você sabe como funciona esse teste?

Ler mais...