Ebook SOP Baixe agora o e-book sobre Síndrome dos Ovários Policísticos e entenda tudo sobre essa doença! Clique Aqui!
Ficou com alguma dúvida? Agende sua consulta agora! Clique Aqui!

O que é anovulação?



"Embora seja comum que a mulher não ovule durante alguns períodos de sua vida fértil, a anovulação pode ser uma causa de infertilidade. Saiba porque ela ocorre."

por Dr. Augusto Bussab

O que é anovulação?

Diversos fatores podem influenciar a fertilidade feminina. Entre esses fatores está a anovulação, condição ainda pouco conhecida.

Muitas mulheres somente conhecem esse problema quando têm dificuldade de engravidar e recebem o diagnóstico.

É importante, sempre que identificar algum sintoma diferente, procurar auxílio médico. Alguns sintomas podem ser indicativos de condições graves, que podem ser tratadas de forma mais efetiva se descobertas precocemente.

Por isso, nesse texto explicaremos o que é a anovulação, como e por que ela ocorre e como pode ser diagnosticada.

O que é a anovulação?

A anovulação é caracterizada pela ausência de ovulação durante a fase ovulatória do ciclo menstrual.

A ovulação equivale ao período fértil da mulher, portanto a anovulação pode levar a mulher à infertilidade.

Quando a fecundação não ocorre, esse óvulo é eliminado do corpo por meio da menstruação.

Porém, há casos em que o óvulo pode não amadurecer ou, caso amadureça, encontre dificuldade em deixar o ovário.

Isso pode causar ciclos menstruais irregulares ou, em alguns casos, sua completa ausência.

Essa ausência de ovulação pode ocorrer em alguns meses específicos, o que é considerado normal, ou ser crônica, quando ocorre com uma frequência maior, levando a mulher à infertilidade e, nesse caso, um médico deve ser consultado para a realização do diagnóstico correto.

Como posso saber se não estou ovulando?

Alguns dos sintomas que tornam sua identificação possível são a presença de uma secreção esbranquiçada durante todo o ciclo menstrual.

Também é comum que as mulheres que sofram com a anovulação crônica sintam dores ovarianas durante o ciclo menstrual.

A alteração do ciclo menstrual e o aumento da temperatura corporal também podem ser indicativos de sua presença. Durante o ciclo menstrual, a temperatura basal costuma variar de acordo com a etapa do ciclo.

Isso não ocorre, entretanto, no ciclo anovulatório. Por isso, a temperatura se mantém em uma média mais alta do que aquela prevista para quem tem um ciclo ovulatório regular.

Causas e doenças relacionadas

Existem diversos fatores que contribuem para a ausência da ovulação, estando muitos desses ligados a desequilíbrios hormonais ou químicos.

Características como estar muito abaixo ou muito acima do peso ou praticar atividade física de modo muito intenso durante longos períodos podem contribuir para a anovulação.

Além disso, mulheres que tenham doenças como o hipertireoidismo ou hipotireoidismo podem apresentar tal quadro, assim como aquelas que têm síndrome dos ovários policísticos (SOP), que produzem uma quantidade maior de hormônios masculinos, podendo afetar sua fertilidade.

Situações traumáticas consideradas graves também podem agir para desencadear o problema, assim como distúrbios causados por excesso de estresse.

Qual a relação entre a anovulação e os hormônios?

Caso algum dos sintomas já citados seja identificado, é possível analisar os níveis hormonais na urina por meio de kits.

Isso ocorre porque o ciclo menstrual da mulher é controlado por hormônios que comandam o amadurecimento e a liberação do óvulo, assim como a preparação do útero.

Quando a mulher apresenta sintomas de anovulação, é provável que haja algum desequilíbrio hormonal em seu corpo que esteja afetando a produção e a liberação dos óvulos.

Se, após a realização do teste, for detectado o desequilíbrio hormonal, deve-se consultar um médico para a realização de exames mais conclusivos.

Como é feito o tratamento?

Uma vez identificada a anovulação crônica e a consequente infertilidade da paciente, o médico pode iniciar o tratamento por medicamentos hormonais que estimulem os ovários a amadurecer folículos e ovular.

Essa prática, conhecida como estimulação ovariana, é amplamente utilizada nos diferentes métodos de reprodução assistida para aumentar as possibilidades de sucesso.

Por meio dessa estimulação, é possível fazer com que o ovário libere mais de um óvulo durante um mesmo ciclo, tornando as chances de fecundação maiores.

Durante esse período serão realizadas ultrassonografias a fim de comprovar o crescimento e a evolução dos óvulos, até que atinjam um grau de maturação considerado adequado. O tratamento também levará a ciclos menstruais mais regulares.

A anovulação e a reprodução assistida

Caso a paciente deseje engravidar, as relações sexuais deverão ser programadas de modo a ocorrer durante o período ovulatório. Caso a gravidez não ocorra utilizando esses métodos, pode-se recorrer à inseminação artificial (IA) ou a fertilização in vitro (FIV).

Ressaltamos que ter ciclos anovulatórios não necessariamente leva à infertilidade, mas é importante que haja um acompanhamento profissional.

Uma forma de reverter os efeitos da anovulação é incorporar uma dieta saudável e diminuir o consumo de álcool, cigarros e cafeína.

Se você deseja saber mais sobre a anovulação e a SOP, leia nosso texto sobre o assunto.

 


Deixe um comentário

  Se inscrever  
Notificação de
Próxima leitura
Como é feito o teste de fragmentação do DNA espermático?

Cerca de 50% dos casos de infertilidade dos casais podem estar associados a um fator masculino. A fragmentação do DNA espermático tem sido apontada, atualmente, como um dos principais. Dessa forma, o teste de fragmentação do DNA é fundamental para investigação da infertilidade masculina. O […]

Ler mais...