Ebook SOP Baixe agora o e-book sobre Síndrome dos Ovários Policísticos e entenda tudo sobre essa doença! Clique Aqui!
Ficou com alguma dúvida? Agende sua consulta agora! Clique Aqui!

Entenda quais são os tipos de cistos no ovário



"Os cistos são definidos como bolhas envoltas por uma membrana fina, contendo ar ou líquidos […]"

por Dr. Augusto Bussab

Entenda quais são os tipos de cistos no ovário

Os cistos são definidos como bolhas envoltas por uma membrana fina, contendo ar ou líquidos em seu interior. Eles podem se formar em diversos órgãos do corpo, mas hoje falaremos especificamente sobre os cistos no ovário.

Apesar de serem benignos na maioria dos casos, em algumas raras situações tumores malignos podem se apresentar como cistos. Por isso, além do check-up anual, é indispensável realizar uma boa investigação em caso de suspeita.

Existem diversos tipos de cistos no ovário. Quer saber quais são eles, suas causas e tratamentos? Então confira o material que preparamos para você a seguir:

O que causa o cisto ovariano?

Alguns fatores de risco já são conhecidos para predispor a formação de cistos no ovário. Entre eles está o histórico familiar positivo e o uso de medicamentos para estimular a ovulação. O tipo mais comum é o cisto funcional, que está relacionado ao ciclo menstrual da mulher.

Quais são os tipos de cistos no ovário?

Como mencionado acima, o cisto mais frequente é o funcional, que é fisiológico. Ele ainda pode ser subdivido em 2 grupos (Cisto funcional folicular e Cisto funcional de corpo lúteo), de acordo com a fase do ciclo menstrual. Geralmente, esse tipo de cisto desaparece espontaneamente após dois ou três meses.

Cisto funcional folicular

São aqueles folículos que não se rompem durante o ciclo e não expelem o óvulo do seu interior, gerando o cisto funcional folicular. Em geral, trata-se de um cisto assintomático, que é diagnosticado durante um ultrassom de rotina.

Cisto funcional de corpo lúteo

Caso o folículo se rompa e libere o óvulo, ele se torna o corpo lúteo, que é responsável por produzir os hormônios que ajudarão caso ocorra a fecundação.

Se não ocorrer a fecundação, o corpo lúteo regride de tamanho até desaparecer. Nas situações que ele não involui, são formados os cistos funcionais de corpo lúteo. Ele tem diagnóstico e prognóstico semelhante ao cisto folicular.

Endometrioma

Pacientes que possuem endometriose podem desenvolver cistos de tecido endometriótico na superfície dos ovários. O líquido dentro desses cistos é escuro e sanguinolento, com aspecto de chocolate.

Os endometriomas provocam dor abdominal e, caso se rompam, podem causar dor aguda e intensa, semelhante à apendicite.

Cisto dermoide

Também chamado de teratoma cístico maduro, trata-se de uma neoplasia de células germinativas. Esse tecido dá origem a diversas partes do corpo, como pele, dentes ou cabelo, por exemplo.

Tem crescimento lento e, na maioria das vezes, mede entre 5 a 10 centímetros de diâmetro. O tratamento cirúrgico é recomendado e leva ao diagnóstico definitivo.

Cisto adenoma

Esse é um tipo de tumor benigno que se forma a partir do tecido que reveste os ovários. Ao contrário dos outros tipos, ele não regride sozinho, sendo necessário um tratamento cirúrgico.

Quais são os sintomas do cisto de ovário?

Em geral, os cistos ovarianos são assintomáticos, ou seja, não apresentam nenhuma manifestação. Nesses casos, não é necessário um tratamento específico, uma vez que tendem a desaparecem espontaneamente.

Em outros casos, porém, sintomas podem aparecer das seguintes formas:

  • crescimento do cisto: pode haver dor, devido a compressão de estruturas próximas, sensação de peso na pelve e/ou abdominal, aumento do volume abdominal e enjoos;
  • ruptura do cisto: provoca dor súbita e intensa de apenas um dos lados da pelve. A ruptura geralmente ocorre durante um esforço físico ou ato sexual. Raramente pode causar hemorragias graves;
  • torção do cisto: ocorre quando os cistos no ovário ou a própria tuba gira em torno de seu eixo, torcendo a irrigação sanguínea para essas estruturas. Com isso, ocorre um quadro de isquemia, ou seja, falta oxigênio. Os sintomas são bem semelhantes ao de ruptura do cisto, e deve ser feito uma investigação de urgência para o diagnóstico diferencial.

Restou alguma dúvida sobre o assunto ou gostaria de compartilhar suas experiências? Deixe seu comentário aqui no post e contribua com a conversa!

Entenda quais são os tipos de cistos no ovário
Avalie essa postagem!


Deixe um comentário

  Se inscrever  
Notificação de
Próxima leitura
Reversão da laqueadura: para quem é indicada e como é feita

Um procedimento cirúrgico pelo qual as tubas uterinas são interrompidas ou retiradas, a laqueadura tubária, […]

Ler mais...