Ebook SOP Baixe agora o e-book sobre Síndrome dos Ovários Policísticos e entenda tudo sobre essa doença! Clique Aqui!
Ficou com alguma dúvida? Agende sua consulta agora! Clique Aqui!

Trompas obstruídas: o que é e como tratar?



"As trompas de Falópio, hoje denominadas tubas uterinas, quando obstruídas, representam um grande obstáculo para a gravidez, pois são órgãos ligados ao útero que possibilitam a passagem do óvulo para o encontro com o espermatozoide. É em uma das tubas uterinas em que ocorre a […]"

por Dr. Augusto Bussab

Trompas obstruídas: o que é e como tratar?

As trompas de Falópio, hoje denominadas tubas uterinas, quando obstruídas, representam um grande obstáculo para a gravidez, pois são órgãos ligados ao útero que possibilitam a passagem do óvulo para o encontro com o espermatozoide.

É em uma das tubas uterinas em que ocorre a fecundação, logo após a ovulação. Portanto, quando as tubas estão obstruídas, o espermatozoide não consegue alcançar o óvulo, impossibilitando a gravidez.

Continue lendo e saiba mais sobre tubas ou trompas obstruídas e como tratar adequadamente essa condição.

Causas

Uma das causas de tubas obstruídas é a endometriose, em que fragmentos de tecido semelhante ao do endométrio se fixam em outros locais e inflamam durante a menstruação. Esses fragmentos e a consequente inflamação podem obstruir a passagem das tubas uterinas e dificultar a gravidez.

Outro motivo são aderências, muitas vezes causadas por cicatrizes no local, as quais podem se formar devido a um parto, cirurgia ou mesmo por gravidez tubária, chamada ectópica, quando ocorre em algum lugar que não o útero (local adequado).

Algumas cirurgias na região do útero ou mesmo na região abdominal podem deixar alguma cicatriz, que provoca a obstrução das tubas uterinas, impedindo a gravidez, mas existem diversas outras causas que podem obstruir as tubas uterinas, como:

  • Mioma;
  • Infecções sexualmente transmissíveis (ISTs);
  • Salpingite, que é a inflamação das tubas uterinas;
  • Infecções no útero e nas tubas;
  • Apendicite com rompimento do apêndice também pode causar infecção nas tubas;
  • Cirurgias ginecológicas ou abdominais;
  • Endometriose;
  • Aborto, principalmente sem assistência médica;
  • Gravidez tubária.

Relação com a infertilidade

Um dos maiores problemas causadores da infertilidade é a obstrução das tubas uterinas, pois, como explicado anteriormente, a principal função desses órgãos é captar o óvulo para que ele encontre o espermatozoide e ocorra a fecundação, ou seja, a gravidez.

Quando as tubas uterinas se encontram obstruídas, o processo natural de captar o óvulo dos ovários para que ele seja fecundado pelo espermatozoide pode acontecer, mas os espermatozoides não conseguem entrar nas tubas uterinas, impedindo o encontro dos gametas.

É muito importante que a mulher que deseja engravidar consulte sempre o médico para que descubra o problema o quanto antes, pois, quanto mais cedo for descoberto, maiores são as chances de desobstrução.

Exames

Existem alguns métodos capazes de diagnosticar e analisar a funcionalidade das tubas uterinas. Veja a seguir:

Histerossalpingografia

A histerossalpingografia é um exame de raio-X do útero realizado após a introdução de um líquido de contraste no órgão que permite a visualização e análise da passagem das tubas uterinas. Esse líquido é introduzido pelo canal vaginal e é fundamental para o exame, pois revela o formato do útero e se as tubas uterinas estão permeáveis.

Com o exame, o médico consegue visualizar a maioria dos órgãos do sistema reprodutor feminino. Na realização do exame, o especialista também pode avaliar outros problemas que podem acometer a paciente, como miomas, malformações no sistema reprodutor, entre outros.

A histerossalpingografia dói?

Não é um exame que cause dor, porém, durante a realização dele, a mulher pode sentir desconfortos, portanto o médico responsável pode indicar um remédio, analgésico ou mesmo um anti-inflamatório antes da realização do exame e depois.

Videolaparoscopia

A videolaparoscopia permite a visualização, por meio de imagens, do interior do abdômen, ajudando a identificar a anatomia do sistema reprodutivo feminino. A videolaparoscopia é apontada como o exame mais preciso para avaliar as tubas uterinas, assim como diagnosticar diversas anormalidade que podem acometer o aparelho reprodutivo.

Tratamento

Caso seja feito o diagnóstico de tubas obstruídas, o médico vai indicar o procedimento ideal. Se a mulher tiver o desejo de engravidar e não houver a possibilidade de desobstrução, o médico poderá indicar a fertilização in vitro (FIV), técnica de reprodução assistida que realiza a fecundação em laboratório, não havendo a necessidade das tubas uterinas. Nesses casos, a mulher precisa ter preservados os ovários e o útero.

Se for possível fazer o tratamento ou remover por cirurgia o que está obstruindo as tubas, a gravidez também pode acontecer de forma natural.

Este conteúdo ajudou você? Compartilhe em suas redes sociais e ajude seus amigos levando a informação.


Deixe um comentário

  Se inscrever  
Notificação de
Próxima leitura
Teste de receptividade endometrial (ERA): o que é e como é feito o teste?

O teste ERA tem sido de grande auxílio na realização da Fertilização in Vitro. Você sabe como funciona esse teste?

Ler mais...