Ebook SOP Baixe agora o e-book sobre Síndrome dos Ovários Policísticos e entenda tudo sobre essa doença! Clique Aqui!
Ficou com alguma dúvida? Agende sua consulta agora! Clique Aqui!

O que são miomas uterinos?



"  Mioma é um tumor benigno formado pelo tecido da camada muscular do útero, o miométrio. Sua gravidade e sintomas dependem do lugar em que está localizado e seu crescimento pode trazer consequências para mulheres que desejam engravidar, pois há risco de infertilidade. Quando o […]"

por Dr. Augusto Bussab

O que são miomas uterinos?

 

Mioma é um tumor benigno formado pelo tecido da camada muscular do útero, o miométrio.

Sua gravidade e sintomas dependem do lugar em que está localizado e seu crescimento pode trazer consequências para mulheres que desejam engravidar, pois há risco de infertilidade.

Quando o mioma se desenvolve dentro do útero, dependendo de suas características, pode reduzir o espaço em que o feto se desenvolve, o que causa diversas complicações para uma gravidez.

No entanto, miomas têm tratamento. É importante buscar um médico ao identificar os sintomas.

Neste texto, vou abordar como os miomas são formados, quais são seus tipos e como interferem na fertilidade feminina, sintomas e quais os tratamentos que podem ser indicados.

Como se formam os miomas?

Ainda não há uma teoria única e comprovada que explique como os miomas são formados, o que inicia seu processo de desenvolvimento, mas eles crescem em decorrência da multiplicação desordenada de uma célula do miométrio, formado por tecido liso muscular.

Pesquisas sugerem que o processo seja desencadeado, principalmente, por desequilíbrios hormonais ou por fator genético.

Miomas são massas tumorais benignas estrogênio-dependentes.

Seu crescimento está relacionado à ação do hormônio estrogênio, por isso mulheres desenvolvem o tumor durante sua vida fértil e ocorre a regressão da doença após a menopausa, quando o nível hormonal diminui.

Apesar de miomas serem tumores, eles são tumores benignos que tem sua formação causada pelo descontrole do hormônio estrogênio.

Esse tumor não está associado ao câncer, pois sua incidência não aumenta o risco de adquirir a doença.

Descubra a seguir quais os tipos de miomas que podem se desenvolver na mulher e quais as consequências de cada um para a infertilidade.

Tipos de miomas e como podem interferir na fertilidade

Os miomas são classificados de acordo com sua localização no útero:

  • Mioma submucoso: este tipo de mioma se desenvolve abaixo do miométrio (camada que recobre a parede interna do útero). Geralmente, atinge o interior da cavidade uterina, podendo ocupar grande parte desta área. Causa sangramento, pode provocar anemia e prejudicar a fertilidade.
  • Mioma subseroso: seu desenvolvimento acontece abaixo da camada que recobre a superfície uterina externa, chamada de serosa ou perimétrio. Pode comprimir órgãos próximos da região, como bexiga, e provocar sintomas relacionados.
  • Mioma pediculado: este tipo de mioma pode crescer tanto na parte interna quanto externa do útero, permanecendo ligado a ele por uma estrutura como uma haste denominada pedículo.
  • Mioma intramural: este tumor tem seu crescimento localizado no interior da parede muscular uterina. Quando está muito desenvolvido, pode alterar o formato da parede do útero, tanto interna quanto externa.

O mioma pode se desenvolver de forma singular ou múltipla, ou seja, pode haver uma única formação de massa ou mais de uma.

Sintomas

A maioria dos miomas é assintomática, portanto são descobertos geralmente quando causam infertilidade.

No entanto, dependendo, principalmente, de sua localização e tamanho, alguns sintomas podem se manifestar. Os mais comuns relatados por pacientes são:

  • Sangramento menstrual mais intenso;
  • Dor durante as relações sexuais;
  • Dificuldade de esvaziar a bexiga;
  • Sangramentos atípicos;
  • Pressão ou dor pélvica;
  • Micção com urgência e frequência;
  • Períodos menstruais prolongados – sete dias ou mais de sangramento menstrual;
  • Prisão de ventre;
  • Infertilidade.

Há casos de mioma que não exigem tratamento, no entanto é necessário um acompanhamento regular do médico ginecologista.

Miomas muito desenvolvidos e múltiplos podem deformar a cavidade uterina da mulher. Normalmente os miomas que causam este tipo de dano são os intramurais e submucosos.

Esses miomas aumentam o risco durante a gestação, com grande possibilidade de provocar sangramento excessivo, abortamento, rotura do útero, entre outros problemas durante o parto.

O risco torna-se maior quando o mioma atinge a placenta. Outros miomas, como o subseroso, na maioria dos casos não apresentam riscos durante a gravidez.

Miomas subserosos, dependendo de sua localização no útero, manifestam alguns sintomas, como maior frequência urinária, dor durante a relação sexual e a prisão de ventre.

Esse tipo não está relacionado a dificuldades de engravidar e de levar uma gestação a termo, assim como os submucosos, que aumentam o fluxo de sangramento durante a menstruação.

Tratamentos

Para realizar o tratamento dos miomas, primeiro é necessário investigar e diagnosticar. Geralmente esse processo é realizado por meio do histórico da paciente e exames. O mais utilizado é a ultrassonografia.

Ao ser feito o diagnóstico, existem algumas formas de tratamento:

Medicamentos: no tratamento de mioma normalmente são utilizados medicamentos para controlar os sintomas, como o sangramento excessivo, e medicamentos para diminuir o crescimento do tumor por meio da redução da produção de estrogênio, hormônio que promove o crescimento da doença.

Há casos em que apenas anti-inflamatórios são necessários para controlar os sintomas. Isso vai depender de cada tipo de mioma e seu desenvolvimento.

Cirurgia: este método de tratamento é indicado quando o mioma está prejudicando a fertilidade da mulher ou causando sintomas graves devido ao seu tamanho e localização.

Quando a paciente deseja preservar seu útero e há riscos na realização da histerectomia, pode ser utilizado um tratamento chamado embolização uterina.

Esse tratamento consiste em implantar um cateter no interior da artéria uterina que nutre o tumor.

Após a implantação, são administrados medicamentos responsáveis pela formação de êmbolos na artéria, interrompendo o fluxo sanguíneo e, consequentemente, o desenvolvimento do mioma.

Miomas e reprodução assistida

Mesmo as mulheres que não puderam preservar o útero podem recorrer à fertilização in vitro (FIV) com a técnica de útero de substituição para ter filhos utilizando seu próprio material genético.

A avaliação da paciente e do casal deve ser feita por um especialista em reprodução assistida, que pode orientar sobre a melhor forma de ter um filho nessa situação.

As informações acima foram importantes? Descubra quando os miomas devem ser tratados por meio da cirurgia aqui.

 


Deixe um comentário

  Se inscrever  
Notificação de
Próxima leitura
O que é útero retrovertido?

O sistema reprodutor feminino é formado, de modo geral, pelos ovários, tubas uterinas (trompas de Falópio), útero e vagina, e controlado por estímulos hormonais. A principal função do útero é abrigar e nutrir o feto até que esteja pronto para o nascimento. Qualquer alteração uterina […]

Ler mais...