Ebook SOP Baixe agora o e-book sobre Síndrome dos Ovários Policísticos e entenda tudo sobre essa doença! Clique Aqui!
Ficou com alguma dúvida? Agende sua consulta agora! Clique Aqui!

Como a estimulação ovariana aumenta as chances de gravidez?



"Diversos tratamentos de fertilidade são feitos em conjunto com a estimulação ovariana, desde os mais simples […]"

por Dr. Augusto Bussab

Como a estimulação ovariana aumenta as chances de gravidez?

Diversos tratamentos de fertilidade são feitos em conjunto com a estimulação ovariana, desde os mais simples (como o coito programado) até os mais complexos (como a fertilização in vitro). Ao se depararem com esse procedimento, porém, muitas mulheres se perguntam como a estimulação ovariana aumenta as chances de engravidar.

Se essa também é a sua dúvida, continue a leitura para entender o que é a estimulação ovariana, por que é necessária e como ela pode ajudar tantas mulheres a realizar o sonho de ser mãe!

O que é a estimulação ovariana?

A estimulação ovariana é uma etapa comum em diversos tratamentos para a infertilidade feminina. Seu objetivo é controlar a produção de óvulos da mulher por meio da administração de hormônios exógenos, sejam eles orais, sejam injetáveis.

Por que isso é necessário?

Durante um ciclo menstrual natural, diversos folículos ovarianos são produzidos e iniciam o processo de maturação, mas apenas um folículo se torna completamente maduro e consegue liberar um óvulo para a fecundação.

Isso significa que a mulher tem uma chance única de engravidar a cada ciclo, e qualquer alteração no óvulo ou no desenvolvimento do embrião pode impedir a continuidade da gestação.

A única exceção seriam os casos de gêmeos bivitelinos (não idênticos), que são formados quando o corpo da mulher libera dois ou mais óvulos durante um mesmo ciclo, mas isso só ocorre em menos de 2% das gestações.

Como a estimulação ovariana muda esse ciclo natural?

A dosagem de hormônios administrada durante o processo de estimulação ovariana controla a maturação dos folículos e pode fazer com que mais de um óvulo seja liberado pelos ovários.

Com mais óvulos, a chance de ocorrer um encontro com um espermatozoide e de algum embrião se desenvolver de forma correta é maior, aumentando a probabilidade de a mulher engravidar.

Quantos óvulos podem ser liberados com a estimulação ovariana?

Isso depende da dosagem de medicamentos utilizada e do tratamento que está sendo realizado.

Para casais jovens em preparação para o coito programado ou em tratamento devido a síndrome dos ovários policísticos, por exemplo, é comum que os hormônios sejam usados em doses baixas para que no máximo dois óvulos sejam liberados e a gravidez múltipla não se torne um problema.

Já no caso de casais em preparação para a fertilização in vitro, o estímulo é mais alto e pode-se obter até 15 óvulos em um mesmo ciclo, já que esses óvulos serão fecundados no laboratório e a gestação múltipla será evitada pelo controle do número de embriões transferidos ao útero.

Como a estimulação ovariana é feita?

Normalmente, a estimulação ovariana é feita por meio de medicamentos hormonais orais ou injetáveis por um período de 8 a 15 dias, com a realização de ultrassons a cada 2-3 dias para acompanhamento do desenvolvimento folicular.

Uma vez que os folículos estão prontos para liberar os óvulos, é realizada uma injeção de hormônio hCG para induzir a ovulação.

Há algum risco?

O maior risco da estimulação ovariana é a chamada Síndrome da Hiperestimulação Ovariana (SHO).

A SHO ocorre quando o organismo da mulher reage de forma exagerada à estimulação hormonal, produzindo estrogênio em doses altíssimas, e provoca aumento do tamanho ovariano e acúmulo de líquido no abdome após a injeção de hCG.

Apesar de poder ser grave, a SHO não é muito comum e pode ser evitada com a realização da estimulação ovariana sob acompanhamento médico qualificado e especializado.

Ainda tem dúvidas sobre a estimulação ovariana? Deixe um comentário aqui embaixo e conte conosco para ajudar você!

Como a estimulação ovariana aumenta as chances de gravidez?
Avalie essa postagem!


Deixe um comentário

  Se inscrever  
Notificação de
Próxima leitura
Miomas uterinos podem provocar infertilidade?

Os miomas uterinos atingem cerca de 20% a 50% das mulheres em idade reprodutiva, embora […]

Ler mais...