Ebook SOP Baixe agora o e-book sobre Síndrome dos Ovários Policísticos e entenda tudo sobre essa doença! Clique Aqui!
Ficou com alguma dúvida? Agende sua consulta agora! Clique Aqui!

Cisto no ovário pode virar câncer?



"A presença de um cisto no ovário significa um câncer? Qual a relação entre ambos? Venha descobrir conosco."

por Dr. Augusto Bussab

Cisto no ovário pode virar câncer?

O cisto no ovário, também denominado cisto ovariano, é relativamente frequente, principalmente os funcionais, e, embora geralmente não cause problemas graves, deve ser avaliado.

É comum a associação de cisto ovariano com câncer, mas na grande maioria dos casos o cisto é uma lesão benigna, embora possa raramente ser maligna.

Os cistos geralmente regridem e desaparecem após alguns meses.

Também existe uma condição chamada síndrome dos ovários policísticos (SOP), que deve ser avaliada em virtude dos sintomas que provoca.

Quer saber mais sobre a relação entre cisto nos ovários e o câncer? Continue lendo o texto.

O que é o cisto no ovário?

Pode-se definir o cisto ovariano como uma alteração benigna que ocorre em mulheres de variadas idades.

Quando pequena, essa lesão não costuma ter sintomas e, por vezes, desaparece espontaneamente.

Um cisto é uma lesão que pode surgir em partes diferentes do organismo, sendo uma espécie de bolha envolta por uma membrana fina cheia de ar ou substâncias líquidas.

No caso do cisto no ovário, essa bolsa forma-se no interior do órgão ou ao seu redor.

Tipos de cistos no ovário

Existem diversos tipos de cistos no ovário. Os mais comuns ocorrem durante o processo de ovulação.

Cisto folicular

As variações hormonais decorrentes do ciclo menstrual estimulam o crescimento de um pequeno cisto chamado folículo ovariano, em cujo interior encontra-se o óvulo.

Quando esse folículo se rompe, o óvulo é liberado em direção a uma das tubas uterinas (antigas trompas de Falópio).

Se, no entanto, o folículo não conseguir se romper, ele continuará a acumular líquidos e a crescer, levando à formação de um cisto folicular.

Esse é o tipo mais comum de cisto ovariano, e sua ocorrência é maior entre mulheres jovens. É comum que ele desapareça após algumas semanas.

Cisto de corpo-lúteo

Quando o óvulo se libera do folículo ovariano, passa a receber o nome de corpo-lúteo.

Seu papel é produzir hormônios, como o estrogênio e a progesterona, levando o organismo da mulher a se preparar para uma possível gravidez.

Caso a fecundação não ocorra, esse óvulo liberado desaparece em alguns dias.

Entretanto, há casos em que o corpo-lúteo passa a acumular líquido em seu interior, formando o cisto de corpo lúteo.

Os cistos folicular e lúteo também são chamados cistos funcionais.

Cisto hemorrágico

Esse cisto ocorre quando um vaso sanguíneo na parede do cisto se rompe, fazendo com que o sangue fique acumulado dentro do cisto.

Ele pode causar dor, mas não costuma exigir que seja realizada uma cirurgia.

Cisto endometrioide

Esse cisto forma-se quando um pedaço do tecido endometrial, que reveste internamente o útero para prepará-lo para receber o embrião, desprende-se e passa a crescer no ovário.

Esse tipo de cisto no ovário pode exigir cirurgia, já que há vezes em que o tecido endometrial pode alcançar regiões como a pélvis, bexiga ou intestino, por exemplo, causando a endometriose.

Qual a diferença de cisto e câncer nos ovários?

O cisto no ovário não é sinônimo de câncer. O câncer de ovário costuma apresentar-se como um tumor sólido na região dos ovários.

O que leva muitas pessoas a confundirem ambos é que há vezes em que o câncer tem a aparência semelhante à de um cisto.

O câncer de ovário tem como característica o desenvolvimento de um tecido doente, o tumor, na região dos ovários.

O corpo da mulher possui dois ovários, localizados um de cada lado do útero, com a função de produzir os óvulos a serem fecundados, bem como os hormônios estrogênio e progesterona.

O diagnóstico de ovário é geralmente tardio pela ausência de sintomas, o que pode dificultar o tratamento.

Embora esse câncer não seja tão frequente, sua taxa de letalidade é alta.

Suas causas não são completamente esclarecidas, mas tem-se conhecimento de que ele é pode se originar de mutações genéticas que agem alterando as características das células.

Como diferenciar os sintomas de cisto e câncer?

O cisto no ovário não costuma causar dor, a não ser quando aumenta de tamanho ou há um sangramento ou rompimento.

Entretanto, seus outros sintomas são semelhantes aos apresentados em pacientes com câncer de ovário em estágio avançado.

A dificuldade de diferenciação dos sintomas reside exatamente no fato de serem semelhantes.

Entre os muitos sintomas pode-se citar o aumento do volume da região do abdômen, dor abdominal, dor ao evacuar, dor durante as relações sexuais e distúrbios urinários.

No caso do câncer de ovário, esses sintomas costumam manifestar-se com maior intensidade e frequência.

Por isso, é necessário consultar um médico na primeira manifestação, para que sejam realizados exames que descartem a possibilidade do câncer.

O que é verdade sobre o cisto no ovário?

Há muitos mitos relacionados ao aparecimento de cistos ovarianos. Vamos esclarecer aqui alguns dos principais mitos.

Os cistos no ovário só aparecem após a menopausa

Mito. Os cistos aparecem durante o período fértil da mulher, ou seja, no período de sua vida em que ocorre a ovulação.

Os cistos no ovário causam infertilidade

Mito. É muito raro que um cisto ovariano leve à infertilidade, embora ele possa dificultar uma possível concepção devido às alterações hormonais que resultam de sua presença.

Os cistos no ovário podem desaparecer de forma espontânea

Verdade. Há cistos que desaparecem espontaneamente, recebendo o nome de cistos funcionais. São eles o folicular e o de corpo-lúteo.

Quando esses cistos não desaparecem por conta própria, o médico deve realizar exames para avaliar a possibilidade de uma possível cirurgia.

Ainda que muitas pessoas associem o aparecimento de cisto no ovário com câncer, esses cistos costumam ser benignos, podendo vir a desaparecer espontaneamente sem causar nenhum sintoma.

Compartilhe esse texto nas suas redes sociais para ajudar outras mulheres a esclarecem as principais dúvidas acerca do assunto.

 


Deixe um comentário

  Se inscrever  
Notificação de
Próxima leitura
Teste de receptividade endometrial (ERA): o que é e como é feito o teste?

O teste ERA tem sido de grande auxílio na realização da Fertilização in Vitro. Você sabe como funciona esse teste?

Ler mais...