Congelamento de Óvulos

Congelamento de Óvulos

Dedicação total ao trabalho, especialização profissional, falta de parceiros adequados, todos esses motivos, individuais ou combinados, fazem com que as mulheres atuais posterguem a maternidade.

Também temos os casos de pacientes que passaram pelo extenuante processo de uma batalha contra o câncer, necessitando de tratamentos como quimioterapia, radioterapia ou mesmo cirurgias, que como consequência acabam comprometendo a fertilidade.

Independente do motivo, a preservação da fertilidade feminina é uma opção a ser considerada por todas as mulheres que precisam adiar o desejo de ser mãe, ou não se sentem preparadas para a maternidade no momento.

A preservação da fertilidade feminina consiste no congelamento dos óvulos da paciente, em um procedimento simples que pode ser dividido em cinco etapas. São elas:

  1. Estimulação ovariana feita com medicamentos que estimulam o desenvolvimento dos folículos ovarianos
  2. Captação de óvulos, quando os folículos atingem o tamanho ideal, aplica-se a medicação para maturar os óvulos e programar a coleta, feita por punção dos ovários guiada por ultrassom transvaginal
  3. Avaliação da qualidade dos óvulos captados.
  4. Congelamento dos óvulos maduros. Esta técnica permite taxas de sobrevivência de 85 a 95%.
  5. Manutenção dos óvulos em nitrogênio líquido por tempo indeterminado.

Quando a mulher decidir usar seus óvulos, estes são descongelados e fertilizados com espermatozóides. Portanto, o tratamento deve ser sempre a Fertilização in vitro. Os embriões formados são transferidos para o útero e o teste de gravidez é feito depois de 12 dias.

Não há limite nem idade ideal para o congelamento de óvulos, mas quanto antes o procedimento for realizado, melhor. Estudos mostram que se o congelamento é feito até os 38 anos, os resultados tendem a serem melhores. Se a você tem mais que 30 anos e não pensa em ter filhos nos próximos anos, converse com seu médico sobre a possibilidade da preservação de fertilidade.