Ebook SOP Baixe agora o e-book sobre Síndrome dos Ovários Policísticos e entenda tudo sobre essa doença! Clique Aqui!
Ficou com alguma dúvida? Agende sua consulta agora! Clique Aqui!

O que é útero retrovertido?



"O sistema reprodutor feminino é formado, de modo geral, pelos ovários, tubas uterinas (trompas de Falópio), útero e vagina, e controlado por estímulos hormonais. A principal função do útero é abrigar e nutrir o feto até que esteja pronto para o nascimento. Qualquer alteração uterina […]"

por Dr. Augusto Bussab

O que é útero retrovertido?

O sistema reprodutor feminino é formado, de modo geral, pelos ovários, tubas uterinas (trompas de Falópio), útero e vagina, e controlado por estímulos hormonais.

A principal função do útero é abrigar e nutrir o feto até que esteja pronto para o nascimento. Qualquer alteração uterina pode gerar muitas dúvidas, principalmente para mulheres que desejam engravidar.

Pensando nisso, desenvolvemos este conteúdo com o intuito de esclarecer os pontos mais importantes.

Leia e confira: o que é útero retrovertido em comparação com o normal; como é realizado o diagnóstico; se pode causar algum problema; qual é a relação com a fertilidade feminina; e alguns mitos.

O que é útero retrovertido em comparação com o normal

O útero é um órgão oco de aparência semelhante a uma pera invertida. Está localizado na pelve preso por diversos ligamentos. Sua extremidade superior chama-se fundo e se projeta para frente do abdômen sobre a bexiga urinária.

Já o útero retrovertido é caracterizado pela posição do órgão diferente da habitual. Ele está fletido para trás, com o fundo virado na direção da coluna vertebral e do reto.

Essa condição também é conhecida como retroversão uterina, útero invertido ou reverso.

O útero retrovertido não é uma doença nem uma malformação uterina. Acontece que esse órgão é mantido no lugar por meio de ligamentos, mas ele não é fixo na cavidade pélvica.

Estima-se que essa condição esteja presente em cerca de 25% das mulheres.

Inclusive essa condição pode acompanhar a mulher desde o seu nascimento ou ser causada. Em outras, o útero retrovertido pode ser adquirido devido a: flacidez dos ligamentos que fixam o útero, presença de miomas ou por infecções pélvicas.

Como é realizado o diagnóstico?

O diagnóstico, geralmente, acontece durante exames de rotina. A mulher pode ter o útero retrovertido sem apresentar nenhum sintoma.

Identificar a posição desse órgão pode ser uma informação importante em casos como: realização da FIV (fertilização in vitro), colocação de DIU e realização de exames, como a histeroscopia.

Por meio da ultrassonografia é possível confirmar o diagnóstico.

Pode causar algum problema?

A mulher poder ter útero retrovertido a vida inteira sem apresentar sintomas. Quando não causa risco ou diminui a qualidade de vida da mulher acometida, não precisa de tratamento.

Os sintomas, quando presentes, geralmente apresentam-se na forma de:

  • Dor durante o ato sexual (dispareunia);
  • Cólicas menstruais fortes (dismenorreia);
  • Dor durante a evacuação (proctalgia);
  • Dor durante a micção (disúria);
  • Dor nas costas e na coluna lombar.

Não é necessário o tratamento na maioria dos casos. No entanto, dependendo da situação e da avaliação feita, deve ser realizada de forma individual. O tratamento pode incluir a suplementação de hormônios ou cirurgia.

Não existe um protocolo único de tratamento. Irá depender da especificidade de cada caso.

Qual é a relação com a fertilidade feminina?

O diagnóstico de retroversão uterina pode preocupar a mulher e o casal, principalmente quando estão tentando engravidar, por isso é importante desmistificar e mostrar que nem todas as alterações podem levar à infertilidade.

No entanto, em alguns casos há uma somatória de fatores que podem, sim, desencadear a dificuldade de engravidar.

O útero retrovertido não interfere na fertilidade feminina. Essa condição não é uma doença, apenas indicando a posição anatômica do órgão. Ela não impede a gravidez nem o nascimento do filho por parto normal.

Inclusive, a gestação costuma acontecer normalmente e a mulher dificilmente necessita de acompanhamento especial durante os nove meses.

Essa condição costuma ser associada à endometriose, mas é importante entender que o útero retrovertido não causa endometriose. Pelo contrário, a endometriose que pode deslocar o útero e ser a causa do útero retrovertido.

A reprodução assistida pode ser necessária?

A reprodução assistida possibilita que muitos casais realizem o desejo de ter um filho. Se o casal tiver dificuldade de engravidar após 12 meses de tentativa sem uso de contraceptivos, a reprodução assistida pode ser uma boa opção. No entanto, provavelmente outra condição associada ao útero retrovertido.

É importante salientar que mulheres com mais de 35 anos devem procurar ajuda se não conseguirem engravidar após apenas 6 meses de tentativas sem utilizar métodos contraceptivos.

O útero retrovertido não causa infertilidade, mas, dependendo da causa do deslocamento, por exemplo se a retroversão do útero foi causada por endometriose, pode haver a necessidade de tratamento para conseguir concretizar a gravidez.

Mitos

Útero retrovertido causa infertilidade?

Falso. Não há redução significativa nas taxas de gravidez natural. O posicionamento do órgão não impede a gravidez.

Útero retrovertido causa endometriose?

Falso. Não há comprovação científica de que a posição diferente leve à endometriose. Na verdade, a endometriose pode ser causadora da reversão do útero.

É necessário tratar o útero retrovertido?

Depende. Na maioria dos casos, não é necessário, porém algumas mulheres podem sentir desconfortos, como dificuldades e dor para evacuar ou urinar.

Em casos excepcionais, que atrapalham a qualidade de vida da mulher acometida, existe tratamento para sua correção.

Esse conteúdo esclareceu todas as suas dúvidas? Compartilhe em suas redes sociais.

 


Deixe um comentário

  Se inscrever  
Notificação de
Próxima leitura
O que é útero retrovertido?

O sistema reprodutor feminino é formado, de modo geral, pelos ovários, tubas uterinas (trompas de Falópio), útero e vagina, e controlado por estímulos hormonais. A principal função do útero é abrigar e nutrir o feto até que esteja pronto para o nascimento. Qualquer alteração uterina […]

Ler mais...