Ebook SOP Baixe agora o e-book sobre Síndrome dos Ovários Policísticos e entenda tudo sobre essa doença! Clique Aqui!
Ficou com alguma dúvida? Agende sua consulta agora! Clique Aqui!

O que é relação sexual programada?



"Casais que estão tentando engravidar e se deparam com a infertilidade, têm a possibilidade de se submeter às técnicas de reprodução assistida para aumentar as chances de uma gestação bem sucedida. Hoje existem três técnicas que auxiliam esses casais. A inseminação artificial e a fertilização […]"

por Dr. Augusto Bussab

O que é relação sexual programada?

Casais que estão tentando engravidar e se deparam com a infertilidade, têm a possibilidade de se submeter às técnicas de reprodução assistida para aumentar as chances de uma gestação bem sucedida.

Hoje existem três técnicas que auxiliam esses casais. A inseminação artificial e a fertilização in vitro (FIV) são as mais conhecidas, mas existe também a relação sexual programada, que é a de menor complexidade entre as três.

Também conhecida como RSP ou coito programado, essa técnica tem uma realização simples, mas só é indicada para casos bastante específicos. Para mais informações, continue lendo este conteúdo:

O que é relação sexual programada?

A relação sexual programada é uma técnica de reprodução assistida de baixa complexidade, que consiste na indução da ovulação e no cálculo do período fértil da mulher.

Com o uso de alguns medicamentos hormonais e acompanhamento do processo por meio de exames, o médico consegue identificar os dias em que há maior probabilidade de a fecundação acontecer, e assim o casal deve programar suas relações para esses dias.

É uma técnica simples, pois existem poucas etapas e poucas interferências do médico em sua realização. Por esse motivo, a RSP só é indicada para casos leves de infertilidade feminina, geralmente relacionados a ovulação, e em casos bem específicos.

A RSP pode ser realizada por até 3 ciclos. Se não for bem sucedida, é necessário investigar para identificar se existem outros fatores prejudicando a fertilidade do casal. Outras técnicas podem ser realizadas, sendo a FIV a mais indicada.

Como é realizada?

Se houver a indicação da RSP, o primeiro passo é a realização da estimulação ovariana. Ela é feita por meio de medicamentos hormonais, com o objetivo de estimular um número maior de folículos que o normal, para que mais de um óvulo seja liberado na ovulação e, assim, as chances de fecundação sejam maiores.

O início da medicação se dá entre o segundo e terceiro dia da menstruação, ou seja, no início do ciclo menstrual. Esse tratamento hormonal dura cerca de 10 dias, sendo que é necessário realizar exames de ultrassonografia pélvica a cada um ou dois dias, para verificar o desenvolvimento dos folículos.

Quando eles alcançam o tamanho ideal para a ovulação, outro medicamento é utilizado para a indução da ovulação. Após a indução, pode demorar até 36 horas para que o óvulo seja de fato liberado.

A janela da fertilidade é o período em que as relações sexuais podem resultar em uma fecundação. Como os espermatozoides sobrevivem por até 3 dias no corpo da mulher, mesmo as relações que acontecem um pouco antes ou depois da ovulação podem resultar em uma gestação.

Acompanhando a ovulação, o médico consegue calcular a janela da fertilidade e o casal deve programar suas relações para este período.

Em casos específicos, a RSP pode ser realizada sem o uso de medicamentos, apenas com o acompanhamento da ovulação por meio de ultrassonografia.

Quando a relação sexual programada é indicada?

Por ser uma técnica de baixa complexidade e com pouca interferência, a relação sexual programada só é indicada em casos específicos, para que possa ser bem sucedida.

O fator mais importante é que só há indicação em casos de infertilidade feminina leve, e o parceiro da mulher não pode apresentar nenhum indício de infertilidade.

Para que isso seja verificado, o homem deve realizar um exame chamado espermograma, que avalia os aspectos e a qualidade do sêmen e dos espermatozoides. O resultado do exame deve atender a todos os parâmetros definidos pela OMS, em relação a volume, viscosidade, pH, concentração de gametas, motilidade e morfologia dos espermatozoides, entre outros.

Além disso, a mulher também precisa atender a alguns requisitos. Seu sistema reprodutor precisa ser saudável e ter características anatômicas normais, em especial as tubas uterinas, que precisam estar preservadas e não apresentar nenhuma alteração, obstrução ou malformação.

Ainda, a técnica só é indicada para mulheres com menos de 35 anos, pois após essa idade a reserva ovariana é afetada e os óvulos perdem qualidade, e esses fatores são importantes para que a RSP seja bem sucedida.

A causa da infertilidade também é relevante para que essa técnica seja indicada. Os principais casos são de problemas ovulatórios ou infertilidade sem causa aparente (ISCA).

Se o casal não atender a esses requisitos, a inseminação intrauterina e a fertilização in vitro podem ser indicadas. Porém, para definir qual é a melhor opção, cada caso deve ser investigado particularmente.

Se este conteúdo foi relevante para você, leia mais sobre a relação sexual programada.


Se inscrever
Notificação de
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Próxima leitura
Passo a passo da relação sexual programada

A RSP é feita, assim como as demais técnicas em reprodução assistida, em etapas distintas e interdependentes: a estimulação ovariana, o monitoramento da ovulação e o aconselhamento sobre os melhores dias para manter relações sexuais com objetivo de engravidar.

Ler mais...