Ebook SOP Baixe agora o e-book sobre Síndrome dos Ovários Policísticos e entenda tudo sobre essa doença! Clique Aqui!
Ficou com alguma dúvida? Agende sua consulta agora! Clique Aqui!

O que é ciclo menstrual?



"Saiba o que é o ciclo menstrual e qual sua influência na saúde da mulher"

por Dr. Augusto Bussab

O que é ciclo menstrual?

O ciclo menstrual é um processo constante no organismo feminino. Assim que um termina, o outro começa, num ciclo permanente. No entanto, isso nem sempre fica claro pelo fato de a mulher menstruar por apenas alguns dias.

O ciclo menstrual está intimamente relacionado com a fertilidade. Uma mulher que apresenta ciclos irregulares geralmente tem dificuldade para engravidar.

Neste texto, falarei de maneira aprofundada sobre o ciclo menstrual, os hormônios relacionados e a fertilidade feminina.

O ciclo menstrual

O ciclo menstrual abrange todas as alterações pelas quais o corpo feminino passa ao longo do mês que resultam na menstruação ou então na fecundação do óvulo e a consequente gravidez.

Esse período dura cerca de 28 dias e ocorre em todas as mulheres que estão em idade fértil. Em outras palavras, pode-se afirmar que as alterações causadas por esse complexo ciclo preparam o corpo da mulher para engravidar.

Os ciclos menstruais têm início na menarca, denominação para a primeira menstruação, e termina na menopausa, quando a reserva ovariana (quantidade de óvulos) se esgota.

Esse complexo ciclo depende de hormônios específicos. Caso haja desequilíbrio, a ovulação pode não ocorrer ou o ciclo se tornar irregular, dificultando ou impossibilitando a fecundação.

Fases do ciclo

Um ciclo menstrual é dividido em 3 fases:

  • Fase folicular;
  • Fase ovulatória;
  • Fase lútea.

Fase folicular

A fase folicular é a primeira fase do ciclo menstrual. Trata-se do período que vai do primeiro dia da menstruação até antes da ovulação, podendo variar muito.

O hormônio mais atuante nessa etapa é o FSH (hormônio folículo-estimulante), produzido no cérebro e que estimula o crescimento dos folículos ovarianos, que liberarão os óvulos (sempre 1 por ciclo, a não ser que seja feita a estimulação ovariana).

O FSH estimula uma série de folículos, até que um se desenvolva e libere um óvulo maduro, que migra para a tuba uterina e pode ou não ser fecundando por um espermatozoide.

Além de promover esse crescimento, o FSH provoca a liberação de grandes quantidades de estrogênio pelo ovário.

Esse outro hormônio é responsável por transformar o revestimento uterino apto para uma provável gravidez.

Fase ovulatória

Nessa fase, os níveis de estrogênio permanecem elevados e isso faz com que o organismo da mulher produza hormônio luteinizante, também conhecido como LH.

Esse hormônio é responsável por amadurecer o maior folículo e liberar o óvulo.

No 14º dia do ciclo, considerando o primeiro dia da menstruação, o LH age na membrana folicular, causando a liberação do óvulo, o que se denomina período de ovulação.

Nesse momento, sinais clássicos da ovulação ocorrem, como a presença do muco cervical semelhante à clara do ovo e dores como pontadas na região do baixo ventre.

Fase lútea

Por fim, a terceira e última fase do ciclo menstrual é a lútea. Nesse período, os folículos ovarianos sofrem alterações e começam a produzir grandes quantidades de estrogênio e progesterona, fazendo com que o endométrio ainda se mantenha apto para uma possível fecundação.

Essa liberação hormonal visa diminuir a produção de LH e FSH.

É nessa fase que, devido à produção aumentada de estrogênio, as mulheres sentem algumas alterações fisiológicas, como variação de humor, inchaços e sensibilidade nas mamas.

Caso a fecundação não ocorra, os níveis de LH diminuem, fazendo com que o corpo lúteo diminua e os níveis de estrogênio e progesterona também diminuam, até que o endométrio seja eliminado na menstruação, originando um novo ciclo.

Por outro lado, caso a fecundação ocorra, o embrião formado adere ao endométrio e o organismo começa a produzir hCG – hormônio que mantém o folículo produzindo elevados níveis de progesterona e estrogênio para manter o revestimento uterino funcionando até que a placenta seja formada.

Distúrbios ovulatórios

Distúrbios ovulatórios geralmente atrapalham o pleno funcionamento de um ciclo menstrual e eles podem acontecer por uma série de condições.

Alterações hormonais, anovulação e até mesmo a síndrome dos ovários policísticos (SOP) estão entre as principais causas de distúrbios ovulatórios que tendem a atrapalhar a regularidade do ciclo menstrual nas mulheres.

Reprodução assistida em casos de distúrbios

Quando uma mulher possui um ciclo menstrual regular e sem nenhum tipo de alteração, o processo de gravidez ocorre naturalmente.

Quando existe algum tipo de distúrbio ovulatório, a mulher deve procurar um médico para identificar o problema e buscar alternativas para tratá-lo. No entanto, isso nem sempre é possível.

Quando a mulher não é capaz de engravidar devido a distúrbios ovulatórios e deseja ser mãe, ela pode optar por se submeter a alguma técnica de reprodução assistida, como a relação sexual programada (RSP), inseminação intrauterina (IIU) e fertilização in vitro (FIV).

Se você quer saber sobre período fértil, basta acessar esse link e ler um texto sobre o calendário do período fértil.

 


Deixe um comentário

  Se inscrever  
Notificação de
Próxima leitura
Como é feito o teste de fragmentação do DNA espermático?

Cerca de 50% dos casos de infertilidade dos casais podem estar associados a um fator masculino. A fragmentação do DNA espermático tem sido apontada, atualmente, como um dos principais. Dessa forma, o teste de fragmentação do DNA é fundamental para investigação da infertilidade masculina. O […]

Ler mais...