Ebook SOP Baixe agora o e-book sobre Síndrome dos Ovários Policísticos e entenda tudo sobre essa doença! Clique Aqui!
Ficou com alguma dúvida? Agende sua consulta agora! Clique Aqui!

Fertilização in vitro: um passo a passo para entender melhor!



"Muitos pensam que, para que um casal contorne as dificuldades de engravidar, é preciso apenas […]"

por Dr. Augusto Bussab

Fertilização in vitro: um passo a passo para entender melhor!

Muitos pensam que, para que um casal contorne as dificuldades de engravidar, é preciso apenas ter paciência e “dar tempo ao tempo”. Porém, isso é um mito: o que acontece, muitas vezes, é um problema médico que afeta grande parte da população. Estamos falando da infertilidade!

Ao contrário do que se prega, essa condição pode ser tratável, permitindo uma gestação tranquila e saudável e proporcionando o sonho de se ter filhos. Entre os tratamentos disponíveis, o de maior eficácia é a fertilização in vitro.

Para saber mais sobre o tema, acompanha nosso post!

O que é a fertilização in vitro?

Utilizada pela primeira vez em 1978, na Inglaterra, a fertilização in vitro consiste numa série de procedimentos utilizados a fim de tratar a infertilidade e proporcionar a concepção de uma criança.

É o procedimento de reprodução assistida mais eficaz, e pode ser realizado utilizando os próprios óvulos e espermatozoides do casal — ou mesmo de doadores.

Como ela funciona?

Existem, basicamente, 6 passos para a realização do tratamento da fertilização in vitro. Abaixo, explicamos detalhadamente cada um deles:

Estimulação e monitoramento ovariano

Nesse primeiro momento, é administrado o hormônio FSH (Hormônio Folículo Estimulante) em altas doses para que haja o crescimento dos folículos do ovário e o recrutamento de um número considerável de óvulos.

Quando o folículo atinge um tamanho adequado, administra-se então o hormônio HCG (Gonadotrofina Coriônica Humana), para que ocorra a maturação dos óvulos e indução da ovulação. Esse processo é monitorado quase que diariamente, e leva em torno de 9 a 12 dias.

Aspiração folicular

Para a captação dos óvulos, é realizado um pequeno procedimento cirúrgico — que dura de 20 a 30 minutos, em média. Uma agulha coletora é inserida pela cavidade pélvica e, então, é feita a aspiração folicular (ou a obtenção dos óvulos propriamente dita).

Apesar de ser um procedimento simples e pouco invasivo, cólicas no dia da coleta ou sensação de pressão nos dias seguintes podem ocorrer.

Coleta dos espermatozoides

Assim como há a coleta dos óvulos, há também a obtenção dos espermatozoides para que ocorra a fertilização. O sêmen deve ser obtido do doador que se absteve de ejacular entre 3 e 5 dias antes da coleta.

Fertilização dos óvulos no laboratório

Num processo chamado inseminação, o esperma e os óvulos são colocados em incubadoras do laboratório para que ocorra a fertilização. Em casos em que haja suspeita de baixa fertilização, pode haver a injeção direta de um espermatozoide dentro do óvulo.

Tudo é monitorado para que se confirme a fertilização e a divisão celular. Assim, os óvulos fertilizados podem ser considerados embriões.

Transferência de embriões

Por fim, a transferência dos embriões é realizada. O procedimento envolve a inserção de um espéculo na vagina para que se exponha a cervix. Desse modo, um número pré-determinado de embriões é colocado no útero por meio de um cateter. Apesar de simples, pode-se se experimentar pequenas cólicas.

Por volta de duas semanas após a realização dessa transferência, um teste sanguíneo e, em alguns casos, um ultrassom, são feitos — para que determine-se se houve a implantação e o início da gestação.

Suporte hormonal

Se os níveis de progesterona da paciente não forem satisfatórios, recomenda-se um suporte hormonal. Do contrário, o endométrio pode não ser capaz de suportar a gravidez. Geralmente, esse suporte é mantido até a 12ª semana de gestação, momento no qual a placenta assume toda a produção hormonal.

Grande parte da população do mundo enfrenta alguma dificuldade para engravidar, tanto por problemas de origem feminina, quanto masculina. No entanto, para quem sonha em conceber uma criança, tratamentos como a fertilização in vitro são uma possível solução.

Lembre-se apenas de que, para que tudo corra de melhor maneira possível e com segurança, é imprescindível procurar profissionais capacitados — como os da Clínica Dr. Augusto Bussab.

Se você está passando por um momento semelhante, não hesite também em conversar com outras pessoas sobre o assunto: deixe seu comentário aqui no post e compartilhe suas experiências com nossas leitoras!

Fertilização in vitro: um passo a passo para entender melhor!
Avalie essa postagem!


Deixe um comentário

  Se inscrever  
Notificação de
Próxima leitura
Reversão da laqueadura: para quem é indicada e como é feita

Um procedimento cirúrgico pelo qual as tubas uterinas são interrompidas ou retiradas, a laqueadura tubária, […]

Ler mais...