Ebook SOP Baixe agora o e-book sobre Síndrome dos Ovários Policísticos e entenda tudo sobre essa doença! Clique Aqui!
Ficou com alguma dúvida? Agende sua consulta agora! Clique Aqui!

Como é feito o tratamento da endometriose?



"Saiba quais são os tratamentos disponíveis para endometriose"

por admin

Como é feito o tratamento da endometriose?

A endometriose é uma doença que atinge o organismo feminina e pode se manifestar de diversas formas. Trata-se de uma doença complexa, de difícil diagnóstico e tratamento, embora determinados casos sejam simples de tratar.

A endometriose é uma das causas mais prevalentes de infertilidade feminina, portanto deve ser tratada, quando possível, ou a mulher receber indicação para realizar técnicas de reprodução assistida, principalmente a FIV (fertilização in vitro).

Estima-se que a endometriose afete cerca de 6 milhões de mulheres no Brasil, das quais 30% podem apresentar dificuldades para engravidar.

No texto de hoje, serão abordados os tratamentos para endometriose e como é possível que uma mulher engravide mesmo sendo portadora da doença.

A endometriose

A endometriose se caracteriza pelo crescimento inadequado de células semelhantes às que formam o tecido que reveste internamento o útero, chamado endométrio, em outros órgãos, geralmente da região pélvica.

A doença pode atingir diferentes regiões do corpo da mulher, como bexiga, ovários, tubas uterinas, também chamadas trompas de Falópio, intestino, musculatura abdominal e até mesmo pulmões.

Mulheres acometidas pela doença podem ser assintomáticas, mas isso é raro. Normalmente, sintomas desconfortáveis podem ser identificados, sendo os mais comuns:

  • Presença constante de cólicas intensas;
  • Fortes dores abdominais no período pré-menstrual;
  • Sensação de cansaço extremo sem causa aparente;
  • Sangramento abundante durante o período menstrual;
  • Desconforto durante a micção e evacuação durante o período menstrual (alterações cíclicas);
  • Dor ou desconforto durante relações sexuais;
  • Constipação ou diarreia;
  • Náuseas;
  • Vômitos.

O que pode interferir no tratamento da endometriose

Por se tratar de uma doença complexa, multifatorial, as mulheres manifestam sintomas e a evolução da doença de maneira particular.

Por isso, toda a investigação e o tratamento devem ser individualizados. Cada mulher passa por um processo único.

O tratamento também vai depender dos objetivos da mulher. Se ela quiser ter filhos, geralmente indicam-se técnicas de reprodução assistida, principalmente a FIV.

Principais tratamentos para endometriose

A endometriose é considerada um problema crônico de saúde, que pode ser tratado de maneira definitiva, mas isso nem sempre acontece, dependendo da extensão da doença.

Uma vez realizado o diagnóstico, são sugeridas diferentes opções de tratamento. Além do tipo da endometriose, é importante levar em consideração fatores como a idade da mulher, gravidade da situação e a vontade de engravidar.

Tratamentos cirúrgicos são os mais recomendados, principalmente em condições mais graves.

Quando a doença está em estágios menos graves, pode-se optar por tratamento medicamentoso, que envolve o uso de anti-inflamatórios, analgésicos e/ou metodologias contraceptivas, como DIU e pílulas anticoncepcionais, como forma de equilibrar disfunções hormonais que podem ter dado origem ao problema.

O médico é o único profissional que pode fazer uma avaliação profunda da doença e prescrever o melhor tratamento. Procure auxílio caso note algum sintoma ou esteja com dificuldade de engravidar.

Endometriose e as técnicas de reprodução assistida

Como ocorre com qualquer casal diagnosticado com infertilidade que esteja buscando a reprodução assistida para tentar engravidar, a mulher com endometriose precisa passar por diferentes avaliações antes da indicação de alguma técnica de reprodução assistida, assim como seu parceiro.

Existem casos em que o homem também é infértil e o tratamento da endometriose não é o suficiente para o casal engravidar.

Uma série de exames são solicitados para avaliar a fertilidade:

  • dosagem do hormônio antimülleriano;
  • contagem folicular para avaliar a reserva ovariana;
  • histerossalpingografia, fundamental para verificar a permeabilidade e saúde das tubas uterinas e do útero;
  • espermograma para investigar a qualidade seminal.

Existem inúmeros outros exames que podem ser solicitados de acordo com o caso. Além disso, a idade da mulher também é um fator a ser considerado. Mulheres acima de 35 anos de idade podem ter indicação de FIV, mas as chances de sucesso são menores por ciclo de tratamento.

Embora a endometriose seja considerada um grave problema de saúde e seja uma das principais causas de infertilidade, é possível superá-la e obter a gravidez.

Esse texto foi útil para sua compreensão sobre endometriose e seus tratamentos? Clique aqui e compreenda como a FIV pode te ajudar a engravidar.

 


Deixe um comentário

  Se inscrever  
Notificação de
Próxima leitura
Como é feito o teste de fragmentação do DNA espermático?

Cerca de 50% dos casos de infertilidade dos casais podem estar associados a um fator masculino. A fragmentação do DNA espermático tem sido apontada, atualmente, como um dos principais. Dessa forma, o teste de fragmentação do DNA é fundamental para investigação da infertilidade masculina. O […]

Ler mais...